dez 202011
 

Diferentemente do que pensamos, fazer um simples é muito mais complexo do que fazer o difícil.
Grande parte dos gestores tendem a achar que criar um processo simplificado é algo fácil e que não exige habilidade.
Criação de processos e mecanismos simples e funcionais exigem inteligência, perspicácia e excelente domínio do assunto a ser tratado.
Portanto, na próxima vez que for criar algo lembre-se; criar o simples é sempre mais difícil.

“A simplicidade é o último grau de sofisticação” Leonardo da Vinci

dez 052011
 

Quero aqui falar um pouco sobre como a evolução na analise e extração de dados dos sistemas avançou significativamente nos últimos anos.

Me lembro ainda, quando na década de 90, utilizávamos complexas rotinas de leitura de arquivos para montar relatórios, hoje considerados simples, que tinham o objetivo de demonstrar informações como quantidade de movimentação de estoques, estoques negativos, lista de produtos menos vendidos (curva ABC) entre outros. Naquela época não haviam aplicativos específicos que conseguiam ler bancos de dados e gerar relatórios, sejam agrupados por código por exemplo, ou mesmo simples listas de dados, tudo que precisávamos tinha que ser programado, de forma estática, sem possibilidade de melhorias pelo usuário final, toda a inteligência de um negócio precisava ser repassada para os programadores, de forma que os mesmos traduziam isso para a linguagem de máquina, e assim, tínhamos nossos relatórios de analises de dados.

Pois bem, o tempo passou, e não somente as ferramentas tecnológicas se aperfeiçoaram, mas o contexto geral da gestão de negócios empresariais inseridos no mundo atual mudou também radicalmente. Hoje precisamos cruzar uma infinidade de informações, comparar com indicadores de mercado, indicadores internos e acompanhar números de vendas, custos, compras, em tempo quase real.

Também, a nova administração, exige que as informações geradas pelos atuais sistemas de informações sejam dinâmicas, em determinado momento precisa-se visualizar o total de vendas de um mês por cidade, e essa mesma informação precisa ser comparada com algum ano específico, buscando-se encontrar melhores épocas de vendas e analisar sazonalidades.

Essa dinâmica toda só é possível atualmente utilizando-se as chamadas técnicas de Inteligência de Negócios, ou, Business Intelligence (em inglês), acompanhe-nos nos proximos post´s onde falaremos mais sobre esse assunto…

até lá..

Claudecir dos Santos